Enquanto as resenhas de For Honor não saem…

Notei que ainda não temos resenhas de For Honor no ar mesmo hoje, em pleno dia de lançamento. Quem jogou o beta já deve ter uma posição quanto à jogabilidade básica, mas pode estar curioso sobre outras coisas, como a campanha, o estado dos servidores online e o desempenho das versões, especialmente a de PC. Como eu acabei pegando no computador (mais barato, né), aí vão alguns esclarecimentos que podem ser úteis.

Para quem não jogou o beta, entendam uma coisa logo: For Honor NÃO é um jogo de hack n’ slash tradicional. Está mais para um jogo de luta com espadas que puxa bastante para a simulação. Não vá atrás dele se estiver imaginando um God of War, Dark Souls ou qualquer jogo de hack n’ slash em terceira pessoal “tradicional”, mesmo tendo um modo História. Espere as resenhas e assista vídeos com muita atenção para não se enganar! Isso dito, vamos ao que posso adiantar:

Sobre as campanhas

Sim, há uma campanha para cada facção, mas as 3 não estão liberadas de cara. Elas estão ordenadas em capítulos. Você joga primeiro o dos Knights, depois o dos Vikings e por fim o dos Samurais. Uma pena, já que tinha mais preferência pelos samurais no beta. Em compensação, elas podem ser jogadas em co-op, ainda que com apenas duas pessoas.

forhonorknight2Joguei quase duas horas da campanha dos Knights, o que serviu para terminar cinco fases. Não dá pra saber quantas fases há em cada campanha, o jogo só mostra a próxima fase liberada; portanto, não me peçam para estimar o tempo total. Você pode assumir que 2 horas jogadas x 3 campanhas = um mínimo de 6 horas de single player, mas no final das contas pode ser qualquer número acima disso, seja 7 ou 15 horas.

cutscenes – quase sempre rodando na engine do jogo mesmo – mas cada fase está mais para um passeio em um mapa do multiplayer com algumas falas, cenas e pausas dramáticas no meio. Às vezes você tem alguma interação com o cenário que parece não estar disponível no multiplayer, mas não posso dizer com certeza, já que não experimentei todos os mapas no beta.

Quanto à história, parece ser bem simples, sem muita profundidade. Mas pelo menos ela está lá, com um ou dois NPCs importantes. Até onde fui, o jogo alterna entre membros de classes diferentes de cada facção, às vezes sem nome mesmo (“The Warden”). De certa forma, parece mais um modo arcade de jogo de luta com movimentação livre e mais inimigos. Não espere uma campanha tradicional de jogo de hack n’ slash: o modo História foi claramente montado em cima dos assets do multiplayer, para servir de treino.

forHonor_Warriors_wip_v1

Inclusive, vale avisar que o modo História expande bem mais o tutorial básico, ensinando coisas novas a cada fase. Se você quiser aprender a jogar com diversas classes antes de partir para o multiplayer, as campanhas parecem ótimas para isso. Aprendi muito mais nessas duas horas do que assistindo aos vídeos de movesets dentro do próprio jogo ou quebrando a cara na raça no beta.

Integração entre campanhas e multiplayer

A progressão do personagem na campanha é separada do multiplayer, mas você pode achar scavenger crates como itens coletáveis escondidos no cenário. Esses crates podem ser trocados pelo pacote Premium no multiplayer, o melhor disponível. Nessas duas horas/5 fases jogadas achei dois crates, o que me poupou 1000 dos 2000 de Metal que o jogo dá no começo (lembrando que Metal é utilizado para desbloquear personagens, a 500 cada, e para fazer upgrade de itens).

forhonorcampobatalha

Além disso, jogar o modo História libera emblemas e ornamentos. Logo, há diversas vantagens de jogá-lo, mesmo para quem quer mais o multiplayer: treino, itens cosméticos, pacotes de itens de loadout. Só não sei se o modo História vai valer muito a pena para quem não quer entrar online nem contra bots; se as campanhas inteiras forem como essas duas horas, não terão profundidade de narrativa nem de jogabilidade suficientes para justificar o preço cheio.

Sobre os servidores

No beta do PS4 (joguei também no Xbox One, mas não o multiplayer) tive muitos problemas para formar uma party com os amigos. Dava falha direto. Mesmo depois de conseguir me juntar a alguém, o matchmaking estava tão problemático quanto: várias vezes o jogo ficava interminavelmente procurando mais gente para fechar o grupo de 4 pessoas, mesmo nos modos contra bots.

forhonor

Infelizmente, a versão final do PC parece estar na mesma. Não tentei formar grupo com amigos, mas nos modos Dominion e Brawl, só consegui fechar grupo uma vez – e de apenas duas pessoas. O jogo simplesmente dá erro antes de achar mais gente. Há a opção de desligar o matchmaking e deixar o jogo completar seu grupo com bots também, o que inicia a partida direto… Mas aí é só você e bots para todo lado. No começo é até bom, os bots ainda exigem um pouco de prática… Mas depois de algum treino no beta, os bots já estão ficando mais fáceis de “ler”. Não sei de o jogo terá muita longevidade jogando apenas com e contra bots.

Sobre o desempenho, em especial no PC

Em um PC que cumpre os requisitos Recomendados (e uma GTX 970 de 4 GB de RAM como placa de vídeo), o modo História segura 60 frames tranquilo mesmo na predefinição mais alta, a Extreme, a 1080p. Há algumas quedas ocasionais para 50-55 em áreas mais amplas, mas no geral ele segura os 60. Vale avisar que mesmo no Extreme o jogo não usa mais do que 2 GB da RAM da placa, então não parece ser tão pesado para placas um pouco mais antigas do que a 970.

Desligar motion blur (que sempre desligo mesmo, não gosto do efeito) e baixar sombras para High já garantiu que os 60 frames ficassem cravados, sem quedas. Só não vou arriscar dizer que o jogo está muito bem otimizado porque no multiplayer o desempenho cai um pouco, oscilando entre 45 e 60. Ainda não tentei reduzir mais configurações para High ou Medium e ver se melhora.

forhonorcitadel

Em termos visuais, não vi diferença significativa entre as versões de PC e do PS4 Pro, pelo menos não a 1080p. O que muda, claro, é o framerate. No PS4 Pro, dava para notar que o jogo ficava um tanto acima dos 30 frames, mas não chegava a 60, pelo menos não no beta. Entendam que o beta poderia estar se utilizando da potência extra do Pro, mas como não havia uma configuração clara para isso nas Opções, não tive como saber. A versão de Xbox One exibia menos efeitos de reflexo e iluminação, além de estar travada em 30 frames, mas o mesmo pode ocorrer no PS4 “básico”.

…Mais alguma dúvida? Qualquer coisa, é só deixar nos comentários!
Anúncios

7 comentários em “Enquanto as resenhas de For Honor não saem…

Adicione o seu

    1. Não joguei Bushido. Mas no caso seria um jogo de espadas em que elas têm peso, demora pra golpear, que tenta simular um combate realista e não de fantasia, “videogamístico”.

      Curtir

      1. Mas, justamente, não seria este tipo de combate de temos em dark souls? Peso no equipamento e demora para golpear? Qual seria exatamente a diferença? Pq não tive a oportunidade de experimentar o beta, mas tinha interesse pelo jogo.

        Curtir

        1. Essa diferença no tempo de resposta em especial é de escala, ou seja, é ainda maior. Note que por “peso” estou me referindo a quanto as armas parecem pesar quando os golpes são deferidos, não o atributo Peso no menu. Em For Honor não há um atributo Peso explícito para você gerenciar.

          Sim, Dark Souls tem um combate mais próximo do que seria um combate “realista” com espadas, escudos, lanças etc. do que a maioria dos jogos. Mas perto de For Honor Dark Souls passa a parecer combate de fantasia de novo. Como referência, as classes ***mais rápidas*** de For Honor rolam no chão com uma velocidade parecida com a de um personagem com 75%+ de Peso total em Dark Souls.

          Note que há outras diferenças, claro, como stance (de que lado você posiciona sua arma para se defender), a câmera bem mais próxima do ombro, e a estrutura geral do jogo. Ela favorece combates 1×1 bem próximos. Imagine um Mortal Kombat, só que com visão em 3ª pessoa acima do ombro, personagens mais “realistas” usando armas medievais e beeem mais lento. Assim como em jogos de luta, “ler” o oponente para tentar imaginar o que ele vai fazer naquele momento é crucial; não se trata de aprender um punhado de padrões predefinidos como nos inimigos básicos de um Dark Souls. Você está desferindo golpes usando inputs parecidos com os de jogos de luta (cima+A>RB, baixo+x>RT, esse tipo de coisa) contra um bot que simula um humano, ou contra um humano de verdade no online.

          Vendo em vídeo você pode se enganar pelas partidas online com exércitos no meio da bagunça, mas na prática isso são minions típicos de MOBA, que morrem com um golpe só, enquanto duas equipes de 4 se digladiam em um mapa grande com 3 pontos para capturar – e esse é o modo com mais jogadores que tem ali. O jogo incentiva a sempre lutar 1×1; qualquer outro bot que entrar no bolo pode ser defendido com um toque da alavanca direita pro lado em que ele estiver, para que você continue se concentrando no seu inimigo direto à frente. É quase como se o segundo ou terceiro combatente fosse um assist de um jogo de luta com tag team. É bem diferente de um Dark Souls da vida, no geral.

          Curtir

          1. Entendi essa questão do peso. Vou buscar assistir vídeos de gameplay com atenção como você falou mesmo. Muito obrigado pela resposta. Grande abraço!

            Curtido por 1 pessoa

Sem comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: