Rumor: Lista de jogos da Nintendo na E3

"Documento vazado", supostamente sobre a Nintendo na E3 2014
Se esse for verdadeiro, já será ótimo

Parece brincadeira, mas após os rumores sobre o que a Sony e a Microsoft anunciariam na E3 em suas conferências, agora vazou até o conteúdo do Nintendo Direct que será exibido na época do evento. Vou repetir a mesma cantilena que eu escrevi nos artigos anteriores sobre os vazamentos: a lista é crível, mas meu trabalho como tradutor dá alguma pista de que é bom não confiar totalmente nela. Se no caso da Sony eu sei da existência de pelo menos dois jogos não incluídos, e no da Microsoft, que o conteúdo de um dos jogos listados não corresponde à realidade, no caso da Nintendo, basta dizer que os press releases não saem das mãos dos altos executivos e funcionários seletos até a semana anterior ao evento. Por experiência própria, sei que a empresa é muito mais cuidadosa e exigente com esse tipo de coisa – e se os documentos fotografados forem reais, não tenham dúvidas de que vai ter gente perdendo o emprego.

Isso dito, segue a lista dos jogos mencionados nas duas folhas fotografadas. Não há informação alguma além de supostas datas, a plataforma de cada um deles e, dependendo do documento, o estúdio responsável. Então vamos começar com os jogos já anunciados e quando eles seriam lançados; depois, temos alguns supostos relançamentos; e finalmente, os jogos inéditos. Liguem o desconfiômetro, segurem as expectativas, e em breve veremos se tudo isso era verdade:

1ª Parte: Os já anunciados/vazados/esperados

Shin Megami Tensei x Fire Emblem (Wii U)
Será que já está para sair mesmo? Quero ONTEM

Aí vai um listão de datas, variando enormemente entre um suposto documento vazado e o outro (a primeira data é sempre do documento com um logotipo vermelho da Nintendo no rodapé):

  • Super Smash Bros. (3DS/Wii U): 18/07 (3DS) e dezembro (Wii U) em um documento, “3º trimestre” (3DS) e “4º trimestre” (Wii U) no outro
  • Bayonetta 2 (Wii U): 15/08 em um documento, “3º trimestre” no outro
  • Shin Megami Tensei vs. Fire Emblem (Wii U): 29/08 em um documento, “data a confirmar” no outro
  • X from Monolith Soft (Wii U): 12/09 em um documento, “4º trimestre” no outro
  • Hyrule Warriors (Wii U): 27/06 em um documento, “4º trimestre” no outro
  • Mario Party U (Wii U): “feriados de fim de ano” em um documento, sem menção no outro
  • Yarn Yoshi (Wii U): outubro em um documento, “3º trimestre” no outro

O mais engraçado é que é difícil levar a sério ambas as listas de datas. Embora algumas coincidam, como as dos Smash Bros (julho já é 3º trimestre, e é o que tinha sido ventilado até então), sempre tem alguma coisa difícil de acreditar. Hyrule Warriors já em junho? Yarn Yoshi já no 3º trimestre, no máximo 5 meses após um Yoshi’s Island no 3DS? Não que outubro seja muito melhor, só um mês a mais… Shin Megami Tensei x Fire Emblem já em agosto, após o jogo ter ficado mais de um ano sem praticamente nenhuma informação sobre conteúdo, jogabilidade, personagens etc.?

Pessoalmente, eu adoraria que o 1º documento fosse verdade – assim os três jogos que mais estou aguardando para o Wii U (BayonettaShin Megami TenseiX) sairiam todos em agosto e setembro, antes da febre dos grandes lançamentos das concorrentes no final do ano. Se Hyrule Warriors vier antes, então, são 3 a 4 meses colado no Wii U como não tenho feito há uns 2 ou 3. Mas ainda parece um pouco irreal. Faz mais sentido que a Nintendo “espalhe” os lançamentos um pouco mais.

 ÑÏÑτΞÑÐΘ

2ª Parte: Relançamentos, reboots e DLCs

Nem a Nintendo está livre da “síndrome” dos relançamentos, embora o caso dela seja um pouco diferente. Não vemos coletâneas HD e afins, e sim remakes de jogos específicos e republicações de títulos originais no Virtual Console.

Pokémon Omega Ruby e Alpha Sapphire

Já anunciados de verdade, inclusive com data para novembro no site oficial, mas vale mencionar porque estão nos dois documentos. O fato das datas estarem corretas em ambos (embora o segundo dê o período de “4º trimestre”) não quer dizer muita coisa, já que eles “vazaram” após o anúncio. Para quem ainda não tinha visto, sim, ambos são remakes – como se os nomes deixassem alguma dúvida, mas teve quem especulasse o contrário. Sempre tem…

Relançamentos de GameCube no Virtual Console do Wii U

Gamecube no Wii U?Agora, sim, temos algo interessante – como sempre, assumindo que seja verdadeiro. Os jogos que supostamente apareceriam no serviço, todos em 10 de junho (mas já?!), são:

  • Super Smash Bros. Melee (*)
  • F-Zero GX (*)
  • Super Mario Sunshine
  • Luigi’s Mansion
  • Mario Kart: Double Dash (*)

Três deles de franquias que podem, ou vão, ganhar novos jogos em breve (*) e o antecessor de Luigi’s Mansion: Dark Moon, lançado para 3DS ano passado. Plausível, de fato, ainda mais considerando que alguns deles são bem cotados no mercado de usados hoje.

The Legend of Zelda: Majora’s Mask 3D (3DS, claro)

Pela mesma Grezzo que trabalhou em Ocarina of Time 3D e supostamente para o 3º trimestre desse ano, de acordo com o segundo documento. Sem mais comentários. Lancem. Já. Agora. Ontem.

ÑÏÑτΞÑÐΘ

3ª Parte: As surpresas

Embora a Nintendo seja acusada constantemente de ser conservadora, sempre há a expectativa de quando eles irão “reviver” alguma franquia. O segundo documento lista quatro “novas franquias”, três pela própria Nintendo EAD e uma pela Retro Studios (Metroid PrimeDonkey Kong Country ReturnsTropical Freeze), mas sem nenhuma informação além de que duas são para 3DS (incluindo a da Retro) e duas para Wii U. Nem data estimada há. E é o caso de se perguntar quantas dessas “novas franquias”, caso verdadeiras, não seriam spin-offs com personagens que já conhecemos: para a Nintendo, um novo tipo de Metroid ou Pokémon pode muito bem ser uma “nova franquia”. De resto, os jogos que aparecem são esses:

Pokkén Fighters (Wii U)

Supostamente para a primavera de 2015 (outono aqui no Brasil), mais ou menos o 2º trimestre. Com esse nome, é de se imaginar que seja um jogo de batalha direta com Pokémons, sem o aspecto mais RPG dos originais de portátil, como costuma acontecer com jogos da franquia lançados em console. Mas é vago o suficiente para ser qualquer coisa – com a inclusão de mais Pokémons ainda como lutadores no próximo Smash Bros, não duvido mais de nada.

Advance Wars (3DS)

Advance Wars no Nintendo 3DS
Será que vem mais um? O último de portátil foi em 2008

Mencionado apenas no segundo documento, a cargo da Next Level Games/1-UP Studio e não da Intelligent Systems (criadora original da série), e com data ainda a confirmar. Não joguei nada da série além de Battalion Wars 2 no Wii – também desenvolvido por outro estúdio – e por isso prefiro me abster de opinar muito. No máximo, dá para dizer que, com o sucesso do último Fire Emblem (para os padrões da franquia), faz sentido para a Nintendo reviver outra série clássica de estratégia em portáteis.

F-Zero (Wii U)

Outro jogo mencionado apenas no segundo documento e que, dependendo do seu ponto de vista, pode fazer muito ou nenhum sentido. É claro que a Nintendo precisa pôr mais coisas no Wii U, além do console ser ideal para uma revitalizada gráfica e visual enorme em F-Zero, que não ganha jogo desde o Gamecube… Mas a descrença nas possibilidades de vendas da franquia é tão grande, e há tanto tempo, que fica difícil apostar. Da mesma forma, o suposto envolvimento da Sega no jogo também pode explicar muita coisa ou parecer viagem: se a Nintendo não quer fazer F-Zero, pode muito bem passar para uma parceira que tem alguma experiência em jogos de corrida com Sonic All-Stars. Por outro lado, se a Nintendo não vê lucro em F-Zero, por que a Sega veria? Vai saber.

Paper Mario (Wii U)

Também mencionado apenas no segundo documento, sem data, mas pelo menos nas mãos da Intelligent Systems, também criadora do jogo original e no mínimo co-desenvolvedora nos seguintes. O tempo passa rápido e Sticker Star para 3DS fará dois anos no final de 2014, então é possível sim que outro esteja a caminho. Sticker Star merece mais crédito do que a imprensa lhe deu, então não vou reclamar de mais um Paper Mario para 2015, por exemplo.

Metroid para 3DS e/ou para Wii U

Metroid novo no 3DS?
Yes, please. ANYTHING.

O primeiro documento menciona apenas um Metroid para 3DS, sem dizer qual é o estúdio por trás; o segundo documento diz que há um para Wii U, pela mesma Retro Studios da série Prime. Pessoalmente, eu quero os dois, ainda mais se o de 3DS for “tradicional” (2D, linha Super Metroid) e se o de Wii U for uma fórmula nova – a Retro já provou que faz milagre com conceitos inusitados como o de Prime. Na real, se vier apenas um novo Metroid Prime para Wii U já ficarei muito feliz. A questão, assim como em F-Zero, é imaginar o quanto a Nintendo está disposta a gastar em uma franquia que vende menos a cada novo jogo – e isso muito antes do ótimo, porém polêmico, Other M: mesmo a série Prime nunca chegou à popularidade dos “tradicionais”, apesar dos elogios rasgados da crítica. Se for para apostar algo de valor, tô “casando” no Metroid em 2D no 3DS, pelo menos para o futuro próximo.

Star Fox U (título provisório)

Assim como F-Zero, uma franquia que talvez não tenha o mesmo peso de antigamente… Mas como a Nintendo tá precisando de jogo, né? O suposto novo título aparece no primeiro documento com esse nome provisório e sairia nos “feriados de fim de ano” já. A surpresa mesmo é o que consta no segundo documento: jogo a cargo da Platinum Games – em itálico porque TAQUIPARIU Platinum, ‘cê tá querendo zerar o mundo dos games, porra!? Já falei e repito: o que vem da Platinum eu jogo dinheiro na tela. Não quero nem saber se eles têm ou não têm experiência com jogos de batalha espacial… Não, pera…

…A Platinum fez Infinite Space no DS. Tudo bem, era um ótimo RPG de estratégia com um sistema de batalha espacial bem peculiar, e não um jogo de ação pura, mas… Será? Nah, seria sair demais da casinha para a Nintendo. É mais provável que peçam para a Platinum fazer algo na linha Star Fox Adventures. Ou não. Caetano manda lembranças. Não sei o que pensar.

Novo Legend of Zelda no Wii U

The Legend of Zelda no Wii U?
My Wii U is ready.

Mencionado em ambos os documentos, com lançamento em 2015 no primeiro e sem data no segundo (e como eu duvido que a Nintendo pretenda levar o Wii U além do final de 2015, acho provável que não atrase para 2016 em diante). O curioso está na coluna “desenvolvedor” do segundo documento: a Monolith Soft (XenosagaBaten KaitosXenobladeX) seria co-desenvolvedora. Não é tão surpreendente quanto um F-Zero da Sega e um Star Fox da Platinum porque a Monolith já fez esse papel de co-desenvolvimento para diversas publishers, como em Dirge of Cerberus: Final Fantasy VII (Square Enix), Super Smash Bros. Brawl (Nintendo, claro) e Project X Zone (Namco Bandai). Após ter sido adquirida de vez pela Nintendo em 2011, trabalhar em um Zelda é normal. O que não é normal é a quantidade de ideias para revitalizar a franquia, especialmente no que diz respeito ao mundo de jogo e ao combate, que um estúdio como a Monolith pode trazer. Minha esperança para o Zelda do Wii U só aumentará se esse “detalhe” for verdadeiro.

ÑÏÑτΞÑÐΘ

“Raspa do tacho”

Como vazaram apenas duas listas de jogos, não há “sobras” para comentar. A empresa não tem consoles velhos ainda recebendo jogos no mercado, como a Sony e a Microsoft, e apenas o primeiro documento menciona third-parties – apenas para dizer que elas terão um espaço no Nintendo Direct com “vários títulos” para Wii U e 3DS. Não temos nenhum boato quanto a novos serviços ou mudança nos atuais. Os Direct recentes mencionaram uma repaginada geral no sistema operacional do Wii U, tanto em termos de disposição de conteúdo quanto de velocidade de carregamento, mas é só.

Nintendo Region Free no Miiverse (Wii U)
O melhor do Miiverse (Wii U) sobre a trava de região da Nintendo

Nada foi comentado sobre uma unificação final das contas online do Wii U e do 3DS via Nintendo ID, nem de cross-buy entre os consoles (por exemplo, Super Mario Bros 3 acabou de sair no Virtual Console de ambos os aparelhos no mesmo dia, mas vendidos apenas separadamente). Muito menos sobre um possível fim da trava de região – uma reivindicação cada vez maior e que voltou a correr a Internet após a Microsoft abrir mão do Kinect. Para mim, seria a maior cartada que a Nintendo poderia dar no campo das mudanças estruturais, mas… Sabemos que a Nintendo não é de mudar seu jeito de fazer as coisas só porque uma galera pediu, ainda que sejam seus fãs.

Comparando esses boatos acima com os rumores sobre a Sony e a Microsoft, o que vocês acham? Comentem, escrevam, peçam, reclamem! Tô curioso para ver se alguém não dá um chute ainda mais preciso…

Anúncios

5 comentários sobre “Rumor: Lista de jogos da Nintendo na E3

  1. Nunca saberemos claro, mas fico imaginando se esses vazamentos não seriam propositais. Difícil claro, mas do jeito que a concorrência tá hoje me parece um pouco plausível essa estratégia [ainda q estranha pra empresas tão fechadas].

    Quanto à F-Zero e Star Fox, pra mim não é surpresa. a Nintendo já fez isso de ressuscitar franquia antiga em 2010 com Donkey Kong e vendeu pra caramba. E é claro, confio 8000% na Platinum tb. 😀

    E Zelda… Pra quê especular? Todo mundo vai gritar igual menininha de qualquer jeito, assim como foi no Skyward Sword, no Twilight Princess… Mesmo que no final ele acabe não sendo tão inovador como a gente vai achar que é. 😛

    Curtir

    1. Ou o contrário. Na real o Skyward Sword só recebeu notão, foi saudado como o mais inovador em muito tempo pelas resenhas, ganhou prêmio de Jogo do Ano na Edge, mas virou modinha um ano depois dizer “éeeeee… não era tão bom assim…” – porque assim podem vender a ideia de que a série “está estagnada há tempos” e criticar a Nintendo de graça.

      Só a IGN não caiu na modinha e até hoje lista Skyward Sword como o melhor jogo já lançado para Wii.

      Curtir

      1. Concordo que SS é ótimo. Só “critiquei” na verdade, por um equívoco, quero dizer que ele não “ficou na memória” entende? Os outros zeldas que já joguei ficavam aquele clima de conto de fadas na minha mente mas com SS o efeito foi menor. Talvez foi por eu ter jogado pouco, mas acho que foi também pela falta de “novidades”. Ou talvez nem isso, talvez seja mesmo algo até mais simples como uma “sensação” que não há em SS em comparação com jogos da nova [que agora é velha] geração. Tipo Dark Souls por exemplo, que apesar de ser “pior”, me parece ter algo que SS não tem. [só não sei dizer o porquê]

        Curtir

        1. Então evita fazer afirmações subjetivas usando grupos como sujeito (“acabe não sendo tão inovador como a gente vai achar que é”) quando você está falando na verdade de SUAS sensações 😛
          É uma mania comum em discurso coloquial aqui no Brasil, eu sei, mas é bom evitar, porque é dessas que saem as interpretações dúbias.

          Eu lembro mais do Skyward Sword do que qualquer outro Zelda que joguei fora o Ocarina of Time e o Link Between Worlds (esse, também por ser recente e por ser bem “light” em história, ainda que o final seja bem memorável). Skyward Sword tá entre os melhores Zeldas que já joguei (no mínimo porque faltam alguns, como Majora’s Mask e Minish Cap).

          Curtir

          1. Obrigado pela dica, realmente nunca tinha percebido isso.

            Talvez eu me sinta atraído pelos Zeldas mais “lights” também. Antes de Skyward Sword os meus preferidos eram Wind Waker e Spirit Tracks.

            Minish Cap deve ter sido bom na época, mas joguei recentemente e achei fraquinho. Tem mecânicas interessantes claro mas ao jogar eu tive a impressão de ser jogo de celular. Um ótimo passatempo, mas nada demais.

            Curtir

Sem comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s