I think I’m turning Japanese

…I think I’m turning Japanese, I really think so.

Jogando recentemente:

Isso sem contar Silent Hill: DownpourNeverDead, jogos desenvolvidos por estúdios ocidentais, mas que foram publicados por empresas japonesas e têm uma cota de bizarrice que jogos “puros” ocidentais quase nunca têm. Ah, e Devil May Cry HD Collection, claro.

O ponto é que ando totalmente sem saco para os temas e gêneros tipicamente ocidentais. Estou precisando de metáforas/alegorias, de realismo mágico, construir relacionamentos sociais entre uma batalha por turno e outra, de combos precisos em hack n’ slash e de bizarrices formais e estéticas. Nada de 500 armas de fogo, machos bombados atirando em tudo pela frente, esmagamento do botão □ ou do mouse, mundo aberto sem foco e com combate qualquer nota, ou jogos de plataforma retrô com um truquezinho qualquer para deixá-los atraentes para o público hipster.

Mais sobre os games que estou jogando, de uma forma ou de outra, em breve. Devil May Cry já está gravado; Persona 3 e Devil Survivor são a obsessão da semana e podem seguir o mesmo caminho, embora Yakuza 3 esteja aos poucos me roubando e Killer7 seja um clássico cult que precisa ser destrinchado. Bom, o que não for ao ar, vira texto, espero.

Anúncios