Mais games na caixa de dúvidas

Arte de Resistance 2 (PS3)Há quase um mês atrás, publiquei aqui uma lista de games para PS3 que estava evitando por enquanto – isto é, jogos consagrados por crítica e/ou público mas que ainda me deixavam em dúvida por um motivo ou por outro.

E a resposta de vocês, leitores, foi ótima – tanto que, nesse meio tempo, alguns jogos daquela lista foram adquiridos. Demon’s Souls, Resident Evil 5 Gold Edition (a versão que receberá suporte gratuito ao Playstation Move) e pelo menos dois FPS (Resistance 2 e Killzone 2) aportaram aqui, e outros ainda podem aparecer.

E agora que pus mais livros de RPG para venda  (o que deve se traduzir em mais fundos para gastar com games em breve) eis uma segunda lista do que tenho monitorado de longe nas lojas de Sampa. Opiniões, como sempre, são muito bem-vindas!

Battlefield: Bad Company

Capa de Battlefield Bad Company (PS3)Bad Company 2 é, até então, o FPS mais bem-sucedido do ano (desconsiderando as vendas contínuas de Modern Warfare 2, claro). O problema é que, com isso, o preço médio dele ainda não diminuiu. Para compensar, fui atrás do demo do primeiro Bad Company, que recebeu boas notas e está a um bom preço (R$ 100 ou menos) em pelo menos duas lojas daqui.

Realmente, é um game divertido. A ideia de fazer parte de um esquadrão meio mercenário e palhaço dá um tom diferente à progressão do jogo. Usar veículos e poder destruir boa parte do cenário também confere alguma variedade. Pelo demo, o jogo pode valer o preço que está. O questão é que é mais um FPS de guerra cujo demo não mostra muito do multiplayer e que parece depender demais do humor e da destruição de ambientes. Será que isso é o suficiente? Ou há mais que o demo não demonstra?

#####

Blur

Capa de Blur (PS3)E continuo minha busca pelo game de corrida que irá me cativar de vez no PS3. A verdade é que não sou muito fã do gênero e, portanto, acabo sendo muito seletivo – em geral, prefiro jogar um game de ação nota 6, mas com boas idéias, do que um de corrida nota 8 que faça mais do mesmo. Descobri isso após testar alguns Need for Speed no PS2, F1 2009 no Wii e uma série de outros em diversas plataformas, de ModNation Racers a Grid (falta Burnout Paradise, admito).

Blur prometia por se tratar de corrida com itens, algo que me interessa muito – assim há mais do que simplesmente acelerar e frear. Baixei o demo, joguei multiplayer por quase uma hora e, assim como em Bad Company, me diverti o suficiente. Só não sei se vale a pena pagar preço cheio nele; o cenário parece ser futurista genérico, os itens são um tanto difíceis de discernir (tanto em aparência quanto efeito), e os carros parecem todos iguais (tanto em aparência, cores à parte, quanto em manuseio). Mais uma vez, isso pode ser consequência das limitações do demo. Alguém aí tem o jogo?

#####

Guitar Hero 5

Capa de Guitar Hero 5 (PS3)Meus problemas com GH5 são diversos. Primeiro, quantas edições de GH alguém realmente precisa? Segundo, existe versão para PS2, que sai bem mais barata e com poucas perdas (afinal, GH não precisa de gráficos em alta definição). Terceiro, até onde pude ver, a jogabilidade permanece essencialmente a mesma. E por fim, depois de pegar Rock Band: The Beatles, com suas fases temáticas, animações contando a história dos Fab Four, quase todas as músicas destravadas desde o início e todo o conteúdo extra, fica difícil voltar para outro Guitar Hero.

Até a capa do negócio parece uma compilação de artistas diversos, do tipo que veríamos em um comercial na madrugada para pessoas solitárias e saudosas dos “bons tempos”. E, a princípio, é isso que Guitar Hero se tornou – ou estou por fora de alguma coisa?

#####

Heavenly Sword

Capa de Heavenly Sword (PS3)Antes de mais nada: calma, não tenho nada contra a heroína feminina. Eu sei, puseram uma mulher boa e com pouca roupa para chamar a atenção mais uma vez… Mas isto está longe de ser a principal razão da existência de Heavenly Sword – que, aliás, se passa em um mundo fantástico onde mulheres vestidas assim já se tornaram um padrão, para o bem ou para o mal.

Eu baixei o demo deste jogo e, embora pareça muito legal (o que já está virando um mote deste artigo), me deixou com duas pulgas atrás da orelha. A primeira tem nome: Ninja Gaiden. É impressão minha, ou a jogabilidade é bem parecida? A segunda pode ter a ver com o demo, mas foi especialmente incômoda: depois de descer até uma plataforma e lidar com trocentos inimigos, a personagem principal ficou lá. Não consegui fazer ela sair de jeito nenhum – ela não conseguia subir pelas cordas de onde veio, não havia para onde pular e, por mais que olhasse no guia dos controles, não consegui descobrir nenhum comando diferente. Além disso, segundo resenhas, o jogo pode ser terminado em seis horas e não tem outros modos – multiplayer ou não – que estendam o seu valor de replay. Ainda assim, em geral foi bem aceito. O que fazer com ele?

#####

Saint’s Row 2

Capa de Saint's Row 2 (PS3)Quem lê este blog com alguma frequência já percebeu que eu não suporto papo de “atitude”, de mano, ou de machão metido a besta. Isso me incomoda tanto que não consegui jogar GTA San Andreas por muito tempo, embora estivesse amando o jogo em si (e é a razão pela qual GTA IV é infinitamente melhor do que todos os seus predecessores juntos – foi quando os autores e desenvolvedores da Rockstar finalmente amadureceram de vez. Mas isso é história para outro dia).

Porém, contudo, todavia… E quando a linha entre emulação e paródia é muito tênue? Mesmo na série GTA é difícil discerni-la e, em Saint’s Row 2, a máxima “mais violento, pior e mais escrachado” parece borrar tal linha ainda mais. Até o GameSpot tascou o seu emblema “Extreme Baditude” no jogo, mesmo conferindo uma boa nota e saudando a liberdade de se causar um belo estrago no mundo aberto do game. Isso tudo sem contar a possibilidade dele ser um grande clone descarado de GTA que só está sendo perdoado exatamente pelo fascínio que gamers têm pelo universo do gangsta rap. Como saber qual é o caso, se o diabo do jogo não tem demo na PSN? O lado bom é que, a princípio, o game parece não se levar a sério, o que já ajuda um monte.

#####

UFC 2010

Capa de UFC 2010 (PS3)Estávamos falando de machões? Então, que tal um bando de machos se atracando no chão? Coisa mais gay, né não? Pois é, mas a real é que minha esposa, como fã de jogos de luta, quis baixar esse demo – e, ao testá-lo, percebi que bichice à parte, a lógica dos golpes e dos combos sugere um jogo de luta bastante complexo e com tanto potencial de variedade quanto qualquer outro.

A situação de UFC 2010 é diferente dos games acima: não tenho nenhum reparo a fazer ao jogo em si, pelo menos não no que deu para testar no demo. O senão é o tema. Dá até uma certa raiva ver um jogo de luta aparentemente tão rico existir sob todo o clima ridículo dos torneios de vale-tudo e com lutadores de tanguinha se esfregando. Se for para dar risada de bombadões, melhor ir direto para Muscle March (WiiWare), que pelo menos assume a temática colorida… 🙂

#####

E por esta semana é só, p-p-p-pessoal. Se alguém tiver alguns destes jogos ou os tiver experimentado na casa de amigos, por favor não deixe de comentar!

Anúncios

5 comentários em “Mais games na caixa de dúvidas

Adicione o seu

  1. Confesso que não esperava muito de Heavenly Sword. Mas me surpreendi muito com o jogo. Não achei parecido com Ninja Gaiden (que eu detesto…). A jogabilidade é boa e a história é melhor ainda. Muito bem ambientada e muito bem executada pelos produtores. Mas o fator Replay é realmente ZERO.

    Curtir

    1. Bom, confesso que a comparação foi baseada em dois níveis de Ninja Gaiden Sigma e um demo de Heavenly Sword (e que, pelo visto, eu não joguei todo já que empaquei na tal plataforma).
      Uma coisa é certa: a câmera de Heavenly Sword é bem melhor. A de Ninja Gaiden Sigma é ajustável com um botão de centralizar, mas muitas vezes ela vai parar em ângulos muito chatos. Por outro lado, eu adoro a estética de Ninja Gaiden Sigma (e sua contraparte no DS, Ninja Gaiden Dragon Sword, que faz milagre no portátil – e tem uma câmera MUITO melhor…)

      Fator replay conta muito pra mim. Já não ando pagando mais do que R$ 100-120 em jogo nenhum (é só esperar que todo jogo cai pra esse preço ou menor, nem que demore um ano ou mais), e se não tiver fator replay só compro usado por menos que isso. E olha que eu me contento com finais diferentes, conteúdo destravável, poder jogar certas fases de novo para fazer mais pontos etc. Nem essas firulas ele tem?

      Como sempre digo, depois não sabem porque o mercado de usados cresceu tanto.

      Curtir

  2. Cara, adorei o seu post, e ja te indico dois jogos legais de corrida, Split Second e Need for Speed Shift e no genero de Saints Row, baixa o demo de Mafia 2, você vai gostar.

    Curtir

    1. Olá Leonardo,

      Valeu! É sempre bom ver que tem gente curtindo as bobagens que escrevo. 🙂
      Coincidência ou não, baixei o demo de Mafia II este fim de semana mesmo! Só não joguei ainda, que a fila tá grande e o livro que estou traduzindo não acaba…

      Curtir

Sem comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: