MarioNation Kart Racers demo “from hell”

Alguém aí tem ModNation Racers (PS3)?

Logotipo de ModNation RacersDesde que comprei o PS3, este game tem ido e voltado da minha lista de prováveis compras. Por um lado, parece uma escolha óbvia: é um híbrido de dois jogos que adoro (Mario Kart e LittleBIG Planet), é exclusivo da Sony (o que ultimamente tem sido quase uma garantia de qualidade) e tem recebido boas resenhas em todo lugar.

Na verdade, a única coisa que me impediu de comprá-lo até agora foi o fato de que ModNation Racers acabou de sair – e, portanto, ainda está sob preços salgados e aparece pouco no Mercado Livre.

Isto é, até finalmente jogar o demo dele ontem à noite.

The Residents ModNationComo todas as resenhas apontam, você começa no jogo criando um avatar, e as opções são virtualmente infinitas. Claro, no demo você não tem acesso a 10% das skins, partes do corpo, roupas, capacetes, acessórios e o escambau que podem ser escolhidos para o seu personagem, mas ainda assim há bastante coisa. Porém, nesta etapa já se acendeu a primeira luz de alerta: após passar cerca de 15 minutos criando um avatar, recebi uma mensagem avisando que ele não poderia ser usado no demo para correr – e pior, que “um update futuro bastante solicitado pela comunidade de jogadores adicionará a possibilidade de carregar este avatar de volta na versão completa”.

Tudo muito bonito e honesto, mas fiquei matutando porque diabos os designers acharam válido mostrar o modo de criação de avatares desta maneira. Criar bonequinhos é divertido, especialmente em um modo robusto como esse – mas toda a razão de fazê-lo é pôr os avatares para correr depois. Se os desenvolvedores não acharam que isso era digno de acontecer no demo, o que isto diz sobre o papel dos avatares no jogo?

ModNation Racers JumpOutro espanto: assim que o avatar ficou pronto, o demo simplesmente empacou, sem dar absolutamente nenhuma orientação quanto ao que fazer. Tentei apertar o Start, que em geral traz o menu principal do jogo para a tela, imaginando que ali pudesse estar a opção para começar uma corrida. Nada feito. Tentei o Select, que alguns games usam para a mesma função. Nada novamente.

Comecei a usar os botões direcionais e descobri que são eles que fazem a câmera girar; só então pude descobrir que meu avatar não estava em um quarto qualquer, e sim nos bastidores de um circuito. Cada lado do galpão dava acesso a um modo de jogo ou opção, e a porta de saída levava às pistas. Muito bonito e imersivo, mas já que se deram ao trabalho de incluir uma tela com o aviso anterior, custava exibir outra agora e orientar o jogador quanto ao que fazer? Ou pelo menos girar a câmera automaticamente para mostrar que o jogador tem outras opções já disponíveis?

Mas tudo isso é firula, se o jogo for realmente bom; o importante mesmo é correr, seja sozinho ou em multiplayer local ou online, certo? Ah, e criar suas próprias pistas, claro (embora não tenha procurado ainda pelo editor de pistas no demo – não sei se ele sequer está disponível). Portanto, vamos lá acelerar!

… e então começou uma relação meio de amor e desconfiança com ModNation Racers.

Mario pronto para invadir ModNation RacersAmor ao perceber que ele se parece muito mais com Mario Kart do que alguém poderia imaginar. Toda a essência do jogo está lá, dos atalhos escondidos à coleta de itens especiais, do jeitão meio Corrida Maluca aos saltos enormes com acrobacias aéreas, do risco de ficar em primeiro (e virar alvo de trocentos itens) a… Enfim, quem jogou Mario Kart sabe.

E desconfiança porque, apesar de algumas idéias menores que expandem os conceitos do último Mario Kart (itens com “upgrades” se você coletá-los mais de uma vez, por exemplo), no geral ModNation Racers passa não apenas a impressão de ser uma versão maior, mais customizável e grandiosa do seu antecessor… Como também de ser uma versão cheia de espinhos na cara, hormônios desperdiçados e “atitude” vazia.

Mas como assim?

As corridas contam com efeitos de embaçamento (blur) nas cercanias da pista durante a corrida, para passar a imagem de algo muito mais “radical”. Os itens são mais casca-grossa, como mísseis e raios elétricos. Os karts em si parecem “muito loucos”, e durante a corrida, o jogador é “entretido” (depende do seu humor) por um narrador engraçadinho, que vive soltando pérolas como “‘tá se sentindo o maioral, né?” ou “não sei se você notou, mas acaba de ser ultrapassado”.

Chucky em ModNation RacersO que parece ótimo, mas esconde uma série de coisas nas entrelinhas. O efeito de blur acaba atrapalhando a apreciação do visual das pistas, que deveria ser um dos pontos fortes de um game em alta definição que tenta atualizar outro em definição standard. Além disso, as corridas em si não são tããão mais rápidas quanto o efeito sugere. Já a aparência dos itens pode até ser menos “infantil” (bem entre aspas), mas na prática, todos os que vi fazem a mesma exata coisa: parar o adversário imediatamente à frente por alguns segundos. Os karts-padrão nem de longe demonstram a mesma criatividade nonsense dos de Mario Kart, onde até carrinhos de bebê têm lugar (se bem que isso com certeza foi “corrigido” pela comunidade de jogadores). Por fim, a narração é até engraçada, mas repetitiva – tanto quanto os “iupis” e “u-hus” de Mario Kart.

Some tudo isso e fica a impressão geral de que, pelo menos no que diz respeito às corridas, ModNation Racers não foi feito para realmente atualizar o que Mario Kart popularizou… E sim para atender aborrescentes e jovens adultos que, por algum motivo bobo, têm vergonha de admitir que curtem Mario Kart. Para efeito de comparação, LittleBIG Planet, por exemplo, não sofre deste mal; você não vai ver mísseis e caras feias e coisas “radicais” por toda parte. A criatividade do próprio estúdio já foi além disso de saída, sem esperar que a os jogadores o fizessem.

Capa de ModNation Racers (PS3)

Ou será que sou eu que estou ficando velho e o tipo de arte/design/jogabilidade celebrado por ModNation Racers ainda seria considerado “muito infantil” por jogadores que se autodenominam “hardcore” (seja lá o que isso for)? Afinal, o game continua sendo um típico jogo de kart sem físicas hiperrealistas, sangue ou explosões – e, ainda por cima, entulhado de ferramentas de “vestir roupinhas”. Tanto é que já tem um site brasileiro de vendas de games que tascou na descrição de ModNation Racers que ele é um “jogo de corrida casual”… E pode apostar que é só por causa dos bonequinhos.

Sendo honesto comigo mesmo e com o game, lembro que o teste foi só de uma pista e do editor de avatares – e em duas corridas apenas. Se você jogar Mario Kart só com a primeira pista do primeiro circuito, em single player e sem poder escolher outro personagem que não o Mario, o jogo também fica sem graça. Na essência mais básica (correr loucamente com karts), ModNation Racers captura Mario Kart com uma competência que nenhum imitador conseguiu antes, e até com um pouco mais de velocidade. Será que com mais opções de edição, download de criações e teste do multiplayer online a impressão geral muda?

Será que vou ter que comprar o diabo do jogo para descobrir?

De novo: alguém aí tem ModNation Racers?

7 comentários sobre “MarioNation Kart Racers demo “from hell”

  1. Eu devo estar velho. Não acho suuuper legal assim customizar o personagem, não tenho muito saco. Sou do tempo em que o jogo vinha com quatro tipos de personagens (o galã, a menina meio putinha, o cara mau e o tipinho engraçado), a gente escolhia um e pau na máquina. Sei lá.
    Também joguei essa demo e não achei grande coisa. Não vi nada da inovação e da febre que envolveu seu lançamento. Por outro lado, me diverti customizando o carro no Need for Speed Underground.
    Acho que a molecada gosta. Com esse lance de jogar online, deve ser legal criar um bicho esquisito e mostrar pra galera.

    Curtir

    1. Eu adoro customizar coisas em jogos. Usar online, seja para mostrar ou dar risada junto com as maluquices que os outros criaram, também.

      O problema é que Little BIG Planet, por exemplo, te oferece de cara, no modo Story (single player normal), as coisas mais variadas possíveis. (Até por isso, uma das críticas feitas ao game é que a grande maioria das pessoas comuns jamais conseguirá criar fases tão interessantes quanto as que vêm no jogo; uma crítica besta, já que a “solução” seria nivelar por baixo, o que não faz sentido nenhum).

      Minha bronca com o demo de ModNation Racers é que não se vê 10% da criatividade de LittleBIG Planet de saída. Os avatares presentes são genéricos, a única pista é bem simples, e tudo tem mais ou menos o mesmo tema: adesivo de caveira, relâmpagos na lateral do kart, pele de cobra. Tudo “muito louco”/”irado”/etc., ainda que em bonequinhos.
      O jogo completo deve ter mais coisas, se considerarmos todos os avatares customizados que se vê por aí (na matéria tem o Mario e o Chucky, mas isso nem RELA as palhaçadas possíveis – pesquise pelo Ronaldinho Gaúcho, por exemplo). Mas acho meio soda a própria desenvolvedora parecer bem menos criativa do que a comunidade.

      Enfim, vamos adiante. Joguei hoje de novo e acho que estou pegando algumas manhas da pista. Ah, e o editor de pistas está disponível para a única pista presente. Não acredito que deixe salvar, mas pelo menos dá pra testar as ferramentas.

      Curtir

  2. Tenho o jogo, quer dizer, chegou essa semana, vou responder o seu artigo escrevendo uma resenha dele, mas só poderei começa-la na semana que vem. É legal, mas espera mais um pouco para saber se vale a pena, já estou jogando há dois dias e ainda não decidi se foi uma boa compra. Definitivamente é mais fraco que Mario Kart, mas isso não quer dizer que seja ruim…

    Curtir

  3. Na minha opinião, o demo não faz muito jus ao jogo.
    Na verdade, comprei esse jogo mais pra ter algo pra jogar com a minha namorada. Mas, acabei me viciando.

    Eu acho a jogabilidade bem profunda, exige um pouco mais de habilidade do que Mario Kart, por exemplo. Pra se dar bem, tem que dominar bastante a derrapagem.

    O modo história também traz alguns objetivos opcionais que dão mais variedade ao jogo, como por exemplo, explodir o corredor “X” na frente da torcida.

    O visual é mais ou menos esse que você falou, embora no jogo completo também tenha algumas coisas engraçadinhas, como carrinhos de sorvete e aviões. Pra achar alguma coisa feita pelos jogadores realmente legal e original, você vai ter que garimpar bastante, porque os tops são sempre lotados de clones do Mario Kart e personagens de outros jogos e filmes.

    Já o editor de pistas realmente é muito legal, dá pra criar pistas com muita qualidade facilmente. As pistas prontas também são muito boas, tirando a primeira pista que realmente é bem bobinha, a qualidade e a dificuldade também vão aumentando conforme você avança.Recomendo baixar a pista “criada pelo Kevin Butler”. Muito bem feita (e cruel também).

    Enfim, eu gostei bastante, não posso dizer que é melhor que Mario Kart, pois minha experiencia com qualquer Mario Kart se resume a algumas sessões na casa de amigos. Mas, é diversão garantida, com certeza…

    Curtir

  4. Deixa eu te dizer.
    Chegou meu Lego Harry Potter esta semana e resolvi encostar o Okami um pouco. Aliás, já encostei o Okami mais de três vezes (pra jogar De Blob, Mario Galaxy, Wario Land, enfim).
    Divertido o Lego Potter. Grau de dificuldade beirando o zero, chances de morrer nulas e piadas mornas. Um jogo que distrai bem, embora, depois de um certo tempo, encha o saco ficar explodindo tudo que existe ao redor para pegar pecinhas de Lego pra encher aquele consolo esquisito que fica na parte de cima da tela.
    Mas a pergunta aqui é: o que você acha dos jogos Lego? Como eu disse, me distrai, então tenho o Star Wars, Indiana Jones e Batman.
    Abs!

    Curtir

    1. Olha, esse é um bom tema para um artigo à parte, mas já adianto que tive contato com dois jogos da série: Lego Indiana Jones 1 (no Wii) e Lego Star Wars – The Complete Saga (no DS).
      Ou seja, ainda falta as versões pra Wii dos dois últimos, o outro Indiana Jones, Lego Batman, Lego Rock Band… Isso antes de sair o Lego Harry Potter.

      A falta de contato é exatamente por falta de empolgação, também. Não por grau de dificuldade, que para mim pode ser maior ou menor de acordo com a proposta do jogo, sem problemas. Acho que eu não fui fisgado pela lógica da coisa ainda. O Indiana Jones me pareceu confuso e pouco intuitivo de início, e o de Star Wars era bacana mas competiu com muita coisa boa no DS no momento.

      Agora, a coisa mais rara é ver uma crítica ruim a estes jogos, pode reparar. Alguma coisa a Telltale está fazendo certo e eu ainda não enxerguei…

      Curtir

Sem comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s